servicos.jpeg
Sindicato Unido é Setor Desenvolvido!

SIMP vê sinais de retomada do plantio de mandioca

SIMP vê sinais de retomada do plantio de mandioca

Depois de várias semanas em que as previsões apontavam queda na área de plantio de mandioca e sem nenhuma perspectiva de reversão do processo, com redução na oferta de raiz para as indústrias, empresários do setor começam a ver uma sinalização de melhora a partir de 2023. A retomada do plantio do tubérculo deve-se à oferta de terras para arrendamento, com preços bem menores dos que vinham sendo praticado. Além disso, a frustração da safra de grãos pode contribuir para produtores rurais voltarem ao plantio da mandioca.

Esta possibilidade foi discutida na reunião desta sexta-feira (01) do Sindicato das Indústrias de Mandioca do Paraná (SIMP). “Por enquanto são tendências, que precisam se confirmar. E para isso as condições climáticas também tem que estar favoráveis”, opina o presidente da entidade, João Eduardo Pasquini.

O tema foi levantado pelo ex-presidente Guido Bankhardt. Ele informou que um ataque de lagartas nas pastagens causou graves estragos. Tem umas que não tem mais recuperação. Estas terras estão sendo oferecidas para o plantio da mandioca e os preços estão mais baixos”, disse ele.

A dificuldade em receber e contratar o seguro agrícola das lavouras de soja e milho perdidas por causa da seca deve contribuir para uma migração de produtores para a mandioca. As seguradoras estão demorando para ressarcir as perdas e estão se tornando mais exigente para fazer noivos contratos.  De acordo com os agroindustriais, a seguradoras perderam o interesse pelo seguro agrícola e muitas dela devem parar de operar no setor. E quem ficar vai encarecer o produto.

Mas o presidente Pasquini acredita que a oferta de raiz da atual safra pode melhorar nas próximas semanas. “Na verdade, está acabando a colheita de soja e do milho. Alguns produtores que também plantam mandioca vão começar a colhe-la agora. Acho que já nas próximas semanas deve começar a oferta”, acredita ele.

Mas para o segundo semestre a previsão continua de escassez da raiz, consequência da redução da área plantada no ano passado. Se houver uma retomada no plantio, as novas áreas começarão a ser plantadas na virada do semestre e suas consequências aparecerão no segundo semestre de 2023. “É preciso que as condições do tempo na época do plantio estejam favoráveis para se confirmar esta previsão”, adverte Pasquini.

 

 

Conheça todos os benefícios que o SIMP oferece às indústrias associadas

3fronteiras.jpeg
agrocales.jpeg
amafil.jpeg
amifec.jpeg
amitec.jpeg
bankhardt.jpeg
barravelha.jpeg
br3alimentos.jpeg
cassava.jpeg
cvale.jpeg
deriman.jpeg
e_ortiz.jpeg
fantuci.jpeg
fecloanda.jpeg
fino.jpeg
formosa.jpeg
helce.jpeg
horizonte.jpeg
incol.jpeg
indemil.jpeg
joplan.jpeg
jurema.jpeg
lopes.jpeg
maniva.jpeg
mcr.jpeg
militao.jpeg
nerial.jpeg
novaera.jpeg
nutriamidos.jpeg
ourofino.jpeg
oyshi.jpeg
pasquini.jpeg
pinduca.jpeg
pioneira.jpeg
podium.jpeg
roders.jpeg
sumare.jpeg
tondato.jpeg
alimentosdoze.jpeg
lorenz.jpeg
fecularia_subida.jpeg
centenario.jpeg
previous arrow
next arrow
3fronteiras.jpeg
agrocales.jpeg
amafil.jpeg
amifec.jpeg
amitec.jpeg
bankhardt.jpeg
barravelha.jpeg
br3alimentos.jpeg
cassava.jpeg
cvale.jpeg
deriman.jpeg
e_ortiz.jpeg
fantuci.jpeg
fecloanda.jpeg
fino.jpeg
formosa.jpeg
helce.jpeg
horizonte.jpeg
incol.jpeg
indemil.jpeg
joplan.jpeg
jurema.jpeg
lopes.jpeg
maniva.jpeg
mcr.jpeg
militao.jpeg
nerial.jpeg
novaera.jpeg
nutriamidos.jpeg
ourofino.jpeg
oyshi.jpeg
pasquini.jpeg
pinduca.jpeg
pioneira.jpeg
podium.jpeg
roders.jpeg
sumare.jpeg
tondato.jpeg
alimentosdoze.jpeg
lorenz.jpeg
fecularia_subida.jpeg
centenario.jpeg
previous arrow
next arrow
Shadow